Saiba como lidar com a inadimplência de clientes

Experiência do usuário: entenda a importância da UX no e-commerce
Experiência do usuário: entenda a importância da UX no e-commerce
30 de outubro de 2018
Lifetime Value e cobrança recorrente: veja como ambos se relacionam em seu negócio
Lifetime Value e cobrança recorrente: veja como ambos se relacionam em seu negócio
30 de outubro de 2018
Saiba como lidar com a inadimplência de clientes

Uma dificuldade que todo gestor sabe que vai enfrentar eventualmente em seus negócios é a inadimplência de clientes. Combater esse problema da maneira errada — ou mesmo deixar de enfrentá-lo — tende a ser extremamente prejudicial à saúde do caixa da empresa.

O grande desafio é que essa é uma dupla tarefa. Ao mesmo tempo que é preciso evitar a inadimplência com afinco, também é necessário ter atenção aos métodos utilizados e buscar não comprometer as futuras relações com os clientes devedores.

Neste artigo, apresentamos alguns procedimentos que podem conter e prevenir esse problema. Acompanhe!

Faça a análise de crédito do cliente

Essa é a solução mais tradicional e mais utilizada pelas empresas. É um procedimento simples, com baixo custo e com bons retornos.

Para realizar a análise de crédito, basta consultar o CPF do cliente na base de dados dos órgãos que realizam esse tipo de serviço, como o SPC ou o Serasa. Dessa forma, é possível conhecer o histórico de pendências e decidir se aquele consumidor é confiável ou não para a concessão de crédito.

Adote o cartão de crédito/débito como pagamento

É sempre preferível receber à vista — lembrando que pagamentos em cartão de crédito também são considerados à vista — portanto, evitar cheques e outras formas de pagamento que adiem o recebimento em relação à entrega do serviço ou produto é uma boa estratégia para evitar inadimplências.

Ademais, oferecer descontos para clientes que pagam à vista é uma forma de garantir que continuem a praticar tal ação.

Dependendo do seu negócio, essa medida por si só não é tão eficiente para reduzir a inadimplência — como em produtos de cobrança recorrente ou uma seguradora, por exemplo — por isso, adotar as outras soluções em conjunto também é necessário.

Utilize sistemas de monitoramento e controle de pagamentos

Às vezes, a inadimplência não acontece por má fé ou problemas particulares do consumidor, mas sim pelo simples esquecimento. Muitas contas a pagar e a falta de organização resultam com facilidade no esquecimento de certas dívidas.

Em outros casos, mesmo que o cliente se lembre da dívida, mas fique impossibilitado de quitá-la por problemas pessoais, caso ele não seja cobrado — ou seja, mas fique com a impressão de que a empresa não dá tanta importância a esse pagamento — a prioridade desse pagamento em relação aos outros acabará sendo menor.

Por isso, um sistema que monitora e controla o pagamento dos seus clientes ajuda tanto você quanto ele. Nesses sistemas é possível utilizar notificações automáticas, assim consumidores que já têm um histórico de atraso podem ser avisados determinados dias antes da data de pagamento, evitando o esquecimento.

Outro método bastante efetivo que vem sendo adotado por cada vez mais empresas é a análise inteligente de cada perfil. Dessa forma, tratando a cobrança de cada cliente de acordo com o seu perfil, decidindo os melhores tipos de abordagem, horário e canal de atendimento utilizado para cada situação, o retorno é otimizado e os custos são reduzidos.

Ofereça condições de negociação

Buscar uma negociação com o cliente é sempre mais vantajoso que partir de forma apressada para as ações judiciais. Renegociar a dívida é uma opção interessante para a maioria dos devedores, pois mesmo que a forma atual de pagamento esteja fora de alcance, outras maneiras podem vir a estar dentro de suas condições financeiras.

Além disso, iniciar processos judiciais também tem seus custos, e quando o cliente e a empresa chegam em um acordo, a possibilidade daquele consumidor voltar a utilizar o serviço dessa companhia é maior do que quando ela não oferece essa possibilidade.

Utilize chatbots para cobrança

Mesmo oferecendo a possibilidade de renegociação, o constrangimento enfrentado pelos clientes por terem que falar sobre suas dívidas com outras pessoas ainda é uma grande barreira que acaba por dificultar esse processo.

Utilizando chatbots, que são robôs que podem conversar dentro de apps (como WhatsApp, Viber e Messenger), o constrangimento é diminuído e os problemas podem ser mais facilmente resolvidos, deixando o contato com seres humanos para os casos realmente necessários.

Opere com contratos e notas fiscais

Haverá casos em que a cobrança da dívida na justiça será a única solução viável, provavelmente porque todas as outras já foram tentadas.

Nessas situações, será de grande ajuda ter em mãos notas fiscais e contratos assinados pelo cliente em que estão especificados data de vencimento e consequências de não pagamento, pois assim o juiz terá provas para tomar as medidas legais e você poderá recuperar o crédito.

Ofereça a possibilidade de pagamento upfront

Utilizar o método de pagamento adiantado não é só uma maneira de fidelizar o cliente. Ao receber parte do pagamento antes da data prevista para o vencimento, o caixa da empresa se mantém mais saudável e terá recursos para outros custos e eventuais imprevistos.

Monte um plano de cobranças

O plano de cobranças é necessário para estabelecer limites bem definidos nas várias etapas do processo de cobrança.

Por exemplo, nós falamos sobre oferecer condições de negociação, mas até que ponto essa possibilidade deve ser concedida? De fato, não são todas as negociações que serão positivas tanto para o devedor quanto para a empresa, levando em consideração que a companhia já tem um prejuízo por conta do pagamento em atraso.

Tanto para essa etapa quanto para as outras, é preciso estabelecer limites, principalmente de tempo. O ideal é que o plano siga uma rota específica. Um exemplo, seria:

  1. notificação após um dia de atraso (via e-mail, SMS etc.);
  2. envio da Carta de Cobrança;
  3. contato para negociação e estabelecimento de novas datas de pagamento;
  4. cadastramento do cliente nos órgãos de proteção ao crédito;
  5. providenciar documentação para entrada nas ações judicias.

A elaboração do plano deve levar em conta o público e as necessidades da empresa, visando manter um equilíbrio entre o não comprometimento da relação futura com o cliente e um fluxo de caixa saudável para a companhia.

Portanto, mesmo que esse seja um problema recorrente, é possível reduzir a inadimplência a níveis baixos se forem utilizados os métodos corretos. Para isso, é preciso definir em primeiro lugar quais serão as soluções mais efetivas para o seu negócio.

Gostou das dicas? Então, compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e ajude seus contatos a se informarem sobre como lidar com a inadimplência de clientes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *