Já pensou em monetizar um app? Entenda as vantagens dessa estratégia

Por que é importante fazer o gerenciamento de pagamentos online?
Por que é importante fazer o gerenciamento de pagamentos online?
11 de dezembro de 2018
software de cobrança
Descubra como funciona um software de cobrança
1 de janeiro de 2019
Já pensou em monetizar um app? Entenda as vantagens dessa estratégia

monetizar app

De acordo com a pesquisa Panorama, fruto da parceria entre a Mobile Time e a Opinion Box, 94% dos usuários de smartphone já baixaram e instalaram algum tipo de aplicativo em seu dispositivo. Quase metade deles já fizeram compras dentro de uma aplicação (46,2%). Isso mostra que monetizar app pode ser um empreendimento lucrativo.

A ideia é boa. Mas como fazer isso na prática? É sobre isso que vamos falar neste post. Saiba os principais métodos de monetização de aplicativos e que vantagens sua empresa pode tirar disso!

O que é a monetização de aplicativos?

Monetizar app significa , ou seja, gerar receita por meio dele. No entanto, ao contrário do que muitos pensam, é mais do que apenas vender um aplicativo em um app store. Existe toda uma estratégia por trás que envolve a aquisição, a fidelização e a monetização dos usuários.

Na verdade, a venda de aplicativos representa a menor parcela de monetização. Segundo a pesquisa Panorama supracitada, apenas 13,3% dos entrevistados já haviam comprado algum app. No entanto, há muitas outras formas de rentabilizar seu aplicativo, de modo muito mais lucrativo, como veremos.

Como ela funciona?

A forma de ganhar dinheiro por meio do aplicativo varia conforme sua estratégia. Veja os diversos métodos de monetizar app mais usados hoje!

Aplicativo pago

Essa forma é o meio mais tradicional e simples de monetizar app, bastando cobrar por um valor específico para que o usuário faça o download e o use. Geralmente são aplicativos mais específicos, focados em nichos. Assim, haverá clientes que estão dispostos a pagar por ele. Também é o caso dos jogos, que são apps de difícil programação.

A dificuldade dos desenvolvedores aqui é que o pagamento é único, ou seja, no início há um grande número de vendas, mas com o tempo a redução de downloads é significativa. Sem falar nas lojas virtuais que retêm cerca de 30% do valor pago.

Gratuito com anúncios

Esse é o método mais comum de monetização encontrado. O aplicativo é fornecido gratuitamente. Porém, o usuário se depara com anúncios na tela, seja de modo contínuo, seja após ações ou períodos específicos.

A vantagem é que, por ser gratuito, os desenvolvedores geralmente conseguem uma boa base de usuários. Além disso, é possível direcionar a publicidade conforme o perfil do usuário. A renda vem de acordo com o volume de pessoas que usam o app.

Você pode usar uma plataforma especializada em publicidade para apps, como o Google Admob e a Rede de públicos do Facebook, ou configurar isso por conta própria.

Versões freemium

Existe um público que não gosta de ser incomodado com a poluição visual ou com a invasividade dos anúncios na tela do app. Para não prejudicar a experiência do usuário, as versões freemium podem ser uma ótima saída. Aqui, disponibiliza-se uma versão paga livre de publicidade.

Vendas dentro do app

Essa forma de monetizar app tem se tornado cada vez mais popular. As vendas dentro do aplicativo já são uma estratégia muito usada nos jogos há algum tempo e têm atingido outros gêneros.

A ideia é fornecer ao usuário o app totalmente gratuito, sem anúncios. Mas pagando, a pessoa consegue vantagens extras, como bônus, boost para melhorar a performance ou venda de itens especiais em jogos. Em aplicativos de vendas, por exemplo, seu anúncio pode ser exibido para mais pessoas, como no OLX.

Assinatura

Assim como no caso do freemium, o app também é fornecido de forma gratuita, mas tem funções limitadas que podem ser desbloqueadas por meio do pagamento de uma assinatura mensal. É o caso de apps de streaming de música — Spotify, Deezer e Play Músicas.

Outros apps disponibilizam todas as funções gratuitamente durante um período específico para o usuário experimentar o serviço. Expirado o prazo, cobra-se a assinatura. Isso serve para encantar a pessoa e, por fim, convertê-lo em um cliente, como na Netflix.

Aplicativo totalmente gratuito, com venda de serviços

Por fim, há aplicativos, também gratuitos, que servem como base para o fornecimento de um serviço específico. Daí, a empresa cobra uma taxa em cima do pagamento. Assim, o trabalho do aplicativo é intermediar entre o usuário e o prestador de serviços.

Grandes exemplos de sucesso dessa modalidade são o iFood — que liga restaurantes e seus clientes — e o Uber — conectando motoristas e passageiros. O usuário encontra o serviço por meio do app, realiza o pagamento e o desenvolvedor fica com uma porcentagem dessa transação.

Quais são as principais vantagens de monetizar um app?

Um app é como uma empresa, é uma ferramenta que resolve uma dor, um problema ou um desejo. Pode ser um serviço, como a locação de imóveis, ou entretenimento, como jogos e mídia via streaming. Mas lembre-se que toda empresa gera custo de desenvolvimento e manutenção. Então é preciso monetizar o app para garantir a sua sustentação e seu crescimento.

Isso é possível mesmo em um aplicativo free. Ele pode ter grande relevância e engajar seu público, ou seja, atrair um grande número de usuários. Esses podem ser uma ótima fonte de receita. Dessa forma, seu negócio se tornará rentável e ganhará valor de mercado. Mas quais os passos necessários para fazer isso? Vejamos.

O que fazer para monetizar app?

Primeiro, o app deve resolver uma dor real de um mundo real. Dessa forma, ele se torna escalável e atrai um grande número de usuários. Segundo, devemos saber quem é o nosso público, ou seja, quem são as pessoas que baixam e usam o app e, a partir disso, medir o nível de engajamento.

Terceiro, é necessário adotar um modelo de monetização que seja mais coerente com o perfil do seu público e com o seu modelo de negócio. Por exemplo, podemos ter versões premium que o usuário paga para baixar ou arca com uma mensalidade.

A partir daí, é possível também fazer up sell e  cross sell dos seus produtos para aumentar a rentabilidade. Por fim, é possível monetizar com anúncios.

Contar com um aplicativo que forneça serviços de pagamento ajuda a gerenciar as cobranças. Por exemplo, um app escolar no qual o aluno ou responsável consegue pagar as mensalidades ou extras. Se for um aplicativo de comunicação de condomínios, é possível realizar a cobrança das cotas condominiais.

Assim, não deixe que um recurso tão acessível a seu público deixe de gerar lucros para o seu negócio. Ao monetizar app em modelos de pagamento recorrente, você conta com uma renda mais previsível e uma base de clientes cada vez maior.

O que achou do nosso conteúdo? Você pode assinar nossa newsletter e receber novas postagens direto na sua caixa de entrada. Aproveite!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *