Conheça 3 fraudes financeiras empresariais e como fugir delas

taxa de churn
Afinal, o que é a taxa de churn e como reduzi-la?
22 de janeiro de 2019
split de pagamento
Como funciona o split de pagamento no marketplace? Aprenda aqui!
5 de fevereiro de 2019
fraudes financeiras

fraudes financeiras

Quando não entendemos a fundo sobre fraudes financeiras, pensamos que as pessoas que cometem esses atos agem de forma aleatória e desordenada, mas não é bem assim. Tenha em mente que, em regra, seguem sempre padrões selecionando vítimas em potencial.

Não podemos negar que existem exceções, isto é, aqueles que fazem por puro instinto ou interesse, muitas vezes sem conhecimento da prática delituosa. Aquelas mais recorrentes atingem cidadãos comuns, mas pode acontecer com empresas e órgãos do Estado também, sendo as que geram maiores desfalques.

Mesmo com a aplicação dos  procedimentos de segurança Elas podem ocorrer  em bolsa de valores, transações financeiras e tributárias, promessas de investimento, entre outros exemplos.

Para que você conheça mais sobre o assunto e sua empresa possa se  proteger preparamos este post com 3 dos principais tipos de fraude financeira. Confira!

1. Transação sem comprovante

Uma das maneiras mais famosas de se cair em um golpe é justamente quando o fraudador pretende fazer altas transações com a empresa. Entretanto, não apresenta uma comprovação de renda ou de origem do dinheiro oferecido na operação.

Por isso, ter conhecimento sobre os procedimentos e a procedência interna e externa é fundamental, principalmente aquelas envolvendo o dinheiro, como operações bancárias e folhas de pagamento. Com essa prática constante, sempre terá um panorama amplo das despesas e receitas envolvidas na gestão da organização.

2. Contabilidade irregular

Esse tipo de prática é recorrente em estabelecimentos que não passam informações completas ou corretas sobre os balanços e razões da corporação para o escritório ou setor de contabilidade responsável pelas finanças.

Isso é considerado também como omissão de informações pelo fato de serem entregues de forma fragmentada. O ilícito acontece justamente quando o registro é feito de maneira errada ou sem a supervisão adequada.

Por essa razão, é essencial que se conheça perfeitamente o sistema de controle utilizado pela companhia, permitindo ao gestor ter acesso irrestrito quando for preciso verificar pessoalmente alguma irregularidade.

Assim, para evitar esse transtorno e fraudes, exija relatórios constantes dos coordenadores das equipes com detalhes das contas, desde despesas supérfluas até as maiores receitas alcançadas.

3. Falsificação e alteração de dados e registros

Essa é uma das fraudes financeiras mais comum de acontecer dentro das empresas, e está  relacionada às pessoas de caráter duvidoso e com más intenções; geralmente o delito é cometido pelos colaboradores ligados diretamente ao sistema.

Assim, redobrar a atenção quanto aos documentos apresentados e assiná-los com total conhecimento de seus conteúdos é imprescindível para identificar irregularidades, evitando adulterações posteriores e o possível comprometimento financeiro da organização.

Portanto, o ideal é que a empresa contrate um profissional de confiança para supervisionar e entregar os relatórios precisos.

Promover auditorias periódicas para análise crítica e analítica é uma boa maneira de encontrar os erros no gerenciamento da empresa. Esses procedimentos podem acontecer em períodos conforme as necessidades do empreendimento.

Manter bons sistemas de controle e fiscalização colaboram para evitar que fraudes financeiras prejudiquem o bom desempenho empresarial e provoquem uma repercussão negativa no mercado. Como diz um antigo ditado, “prevenir é o melhor remédio”.

Gostou do tema deste post? Para manter-se em dia sobre conteúdos como este, siga-nos no Facebook e no LinkedIn.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *